Pórtico

«Ubi Sapientia, ibi Libertas»

«Onde há Sabedoria, há Liberdade»

A Biblioteca da Universidade da Beira Interior, comparativamente com outras bibliotecas universitárias congéneres e seculares, é ainda muito jovem. Mas nem por isso queremos que lhe falte sapiência ou liberdade.

Em virtude da sua história recente (nasceu em 1982, no Polo I, onde é o atual Centro de Recursos de Ensino e Aprendizagem, junto à Parada), do rápido crescimento da Universidade e da dispersão das suas Faculdades pela Cidade, é constituída, desde 1996, pela Biblioteca da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (polo Ernesto Cruz); pela Biblioteca Central, inaugurada em 2001, fruto da adaptação de um palacete do séc. XIX; e pela Biblioteca da Faculdade de Ciências da Saúde, aberta em 2002. Mais recentemente, por proposta do Reitor ao Conselho Geral da UBI (2014), a Biblioteca passou a integrar também os «Serviços Gráficos e Publicações», que passaram a ser designados de «Tipografia».

Com este ramalhete de polos e préstimos, assegura-se um serviço de proximidade a toda a Comunidade Académica, em especial aos estudantes e professores, se bem que recentemente se tenha aberto a toda a Comunidade envolvente ao criar a figura do «Leitor Externo».

Historicamente, como se disse, as Bibliotecas são mais antigas que as Universidades. São justamente famosas as antigas Bibliotecas de Nínive, Éfeso, Pérgamo, Alexandria, etc.. Mas desde a fundação das Universidades, no séc. XIII (Bolonha, Paris, Oxford, ...), que as Bibliotecas se constituíram como seus aliados naturais e espaços privilegiados de investigação, criação, preservação e difusão do conhecimento. O que fundou a Universitas como tal foi a liberdade de ensinar e de aprender (libertas docendi et discendi), e só isso a poder manter viva, hoje. A Liberdade é o sentido da História e a razão última da Universidade. E não pode haver uma boa Universidade sem uma boa Biblioteca. Esta assume assim um papel essencial, prosseguindo e cumprindo a missão formativa de qualquer instituição de Ensino Superior a nivel humano, cultural, científico e técnico.

Por isso, tão importante como os livros, as revistas, as teses, os CDs, DVDs e demais recursos nelas existentes, é outrossim decisivo o bom ambiente que as deve caracterizar - quer de silêncio quer de entreajuda, em espaços diferenciados -, o modo como alunos universitários aí cultivam uma atitude livre, criativa, respeitadora e responsável perante os outros, o saber e o conhecimento e, ao mesmo tempo, se iniciam na vida cívica, social e profissional.

Podemos pois dizer: se a Universidade é Alma Mater Studiorum, a Biblioteca é o seu coração pulsante. Queremos que assim seja na nossa Biblioteca da Universidade da Beira Interior.

José Maria Silva Rosa

Diretor da Biblioteca

 

As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação que permitem a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.